Capa de O Maravilhoso Mágico de Oz

Capa de O Maravilhoso Mágico de Oz (clique para ampliar)

Não é preciso dizer muita coisa para alguém se lembrar de algum elemento de O Mágico de Oz. Seja pelos filmes ou então pelo próprio livro, personagens como Dorothy, o Leão, o Homem de Lata e o Espantalho são bastante reconhecíveis, apesar de a história ter sido publicada por L. Frank Baum há um bocado de tempo, mais precisamente em 1900.

Mas, agora, tente imaginar o Mágico de Oz segundo o estilo Marvel… pois é, essa ideia não só foi imaginada como também virou realidade.

O Maravilhoso Mágico de Oz, 216 páginas, capa dura, papel couché, R$ 54,00,  é o livro que a Panini traz aos seus leitores, contando a aventura que encantou gerações de uma maneira como nunca se viu antes. Para a empreitada, a Marvel chamou o escritor Eric Shanower, um fã confesso do universo de Oz, e Skottie Young, dono de uma arte espetacular, talentos esses que se casam perfeitamente bem para adaptar um conto antigo para um novo público de maneira exemplar.

Quando a menina fazendeira Dorothy voa para longe até o Mundo Mágico de Oz, ela tem um encontro para falar com uma Bruxa Má, liberta um Espantalho vivo e é saudada pelos Munchkins como uma poderosa feiticeira… Mas tudo o que ela realmente deseja saber é: como voltar para casa?

Na época de seu lançamento, como não poderia deixar de ser, O Maravilhoso Mágico de Oz faturou o Prêmio Eisner nas categorias Melhor Série Limitada e Melhor Publicação Para Crianças – o que, cá entre nós, é plenamente justificável.