Máquinas em conflito

Em nome do pai
Em nome do pai

Depois de um desafiador início em seu título próprio pós-Renascimento,Victor Stone está mais uma vez pronto para corajosamente encarar os inimigos que vêm aí para ameaçar sua cidade natal, Detroit… mas isso se seu próprio pai permitir!

Em Cyborg vol. 2 (formato americano, capa cartão, miolo LWC, 188 páginas, R$ 27,90), além de ter que encarar uma conspiração cibernética que ameaça toda a humanidade, o herói mecânico mais famoso do UDC terá que resolver algumas questões familiares inadiáveis, sob pena de perecer sob o peso do nebuloso passado de sua família, notadamente seu genial progenitor. E, enquanto enfrenta novos e imprevisíveis adversários, Victor vai descobrir que esse enigma familiar está mais ligado aos perigos que agora enfrenta do que ele jamais imaginou!

Esse volume traz ao Brasil as histórias originalmente publicadas em Cyborg 6-13, sob as rédeas do roteirista John Semper Jr. (Homem-Aranha: A Série Animada) e arte de Will Conrad (Asa Noturna) e Paul Pelletier (Aquaman).


Dilemas de uma máquina

Ser ou não ser... robô?

Ser ou não ser… robô?

Para darmos o pontapé inicial nos anúncios dos especiais de novembro da DC, convocamos agora o primeiro e único Victor Stone… mais conhecido pelos amigos leitores como Cyborg!

O encadernado Cyborg vol. 1 (capa cartão, miolo LWC, 140 páginas, preço a anunciar) traz o início da saga do herói cibernético da Editora das Lendas após o Renascimento. Para quem não está familiarizado com a situação atual do personagem, Victor é tratado como um dos membros fundadores da Liga da Justiça já há algum tempo (desde o início dos Novos 52), mas isso não o impede de continuar a sofrer internamente com o dilema que o torna um dos heróis mais interessantes dos comics: seria ele apenas uma máquina que pensa ser um homem?

Essa terrível questão… e uma tonelada de ação de primeira… é o que serve de base para que John Semper Jr. (roteirista da série de animação do Homem-Aranha nos anos 1990), ao lado do desenhista Paul Pelletier (Aquaman) e de outros competentes artistas — entre eles, o brasileiro Will Conrad (Asa Noturna) — transformem a vida do Cyborg, e talvez de toda a humanidade, para sempre!

O encadernado chega às bancas no final do mês que vem publicando aqui as histórias originalmente lançadas nos EUA em Cyborg: Rebirth e Cyborg 1-5.